sábado, 30 de junho de 2018

AMOR LATINO

POEMA EM PARCERIA COM MINHA AMIGA PERUANA PRIKA ROJAS.

Ela é peruana, latino americana,
Tem o sotaque que tanto me encanta.
Cabelos ao vento parece bailar,
Seu toque é suave me fez apaixonar.
És meu refúgio em dias tempestuosos,
És minha guia em dias tenebrosos.
Com ela aprendi o real sentido de amar,
Ela me faz repousar.
Me encanta seu toque sedutor,
Eu a rebatizei com o codinome de amor.

El es de un país muy caluroso,
Lo sé no por lo que me dice sino por lo que trasmite...
Esa mirada profunda que me cautiva...
Y me enreda el alma con la suya...
Mis anhelos los tiene porque provoca en mi locura, pasión sin medida...
Aquella que busca saciar con los osculos que el me pueda dar...
Dejame moreno mio poder probar de ti...
Permite que seamos uno solo en medio de tanta adversidad...
Amarte seria un placer... Aquel que me estremece cuando veo tu sonrisa asomarce como perlas del mar...
Los gritos que quiero dar por sentir esta necesidad de poder tocarte para eternidad...

Por Alberto Ativista e Prika Rojas.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

TODOS SOMOS SELEÇÃO

O futebol tem tudo a ver com a realidade,
Diariamente temos lutas, goleadas, massacres.
Temos artistas que fazem marabalismo,
No campo, no sinal, mostram brilho.
A mãe de família que mostra categoria,
Driblando as dificuldades do dia a dia,
Com pouco no bolso cria suas filhas,
São as craques das partidas tão sofridas.
No Ipu não é diferente,
Craques do cotidiano da gente.
A Copa do Mundo é na Russia, mas é mundial,
De Moscou ao Ipu a partida é brutal.
Cristiano, Messi ou Neymar,
Francisco, José ou Josimar,
Todos temos clássicos a enfrentar,
Dos nossos adversários não importa a qualificação,
Porque todos somos seleção.
Alberto Ativista, escritor e poeta.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

ENTRE FLORES E ESPINHOS

A vida é mutação,
Transtorno, suicídio, frustração.
Por que as rosas sangram no final?
Sem regadio só a morte cabal.
Hay que endurecerse pero sin perder la ternura jamas.
Sou utópico desde os anais,
Da década de 80,
Faço da poesia uma sentença,
Gramatical, verbal,
Sólida espiritual.
Sou possessivo nas linhas do caderno,
Eternizo minhas leis e decretos.
Porque meu sonho não é uma Paraty,
É igualdade para mim e para ti.
Alberto do germânico nobre, luminado,
Humilde como as cores preta e branca do retrato.
A vida meu caro é muito foda,
Por essas e outras meu coração é espinhoso,
Porém, cheio de rosas.
Alberto Ativista, escritor e poeta.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

RECOMEÇAR DOS PRÓPRIOS CACOS

Todo recomeço é difícil porque ficam cacos de nós mesmos pelo caminho, cacos que nos cortam e nos sangram.
Todo recomeço exige mais força que o recomeço anterior.
Entretanto, todo recomeço significa que fomos e somos fortes por ter superado tudo o que passou.
Todo recomeço é uma nova chance de uma existência melhor e mais amena.
Alberto Ativista, escritor e poeta.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

ROSAS E POESIA

São lembranças que ecoam no meu pensamento,
Tristes e bons momentos.
Erros e acertos,
Perfeito e imperfeito.
São as experiências que nos redesenham meu caro,
Não sou mais quem eu era no passado.
Agora é diferente não posso ser o mesmo,
Em cada um de nós tem chaves e segredos.
Quando a esperança sai de campo,
Meu verso entra e eu componho.
Transformo em rima tudo que me acontece,
Tudo que me enobrece.
Já falei de paz e de guerra,
De plebeia e de cinderela,
De sol e de chuva,
De felicidade e tortura.
Só desejo paz e amor,
Carinho e calor,
Fortaleza e alegria,
Rosas e poesia.
Alberto Ativista, escritor e poeta.

VOCÊ PARTIU PARTE 3 (TRILOGIA DA SAUDADE)

Diz que homem não chora,
Não ajoelha, não implora.
Fazia tanto tempo que eu não parava para pensar,
Naqueles que morreram e entre nós não vão estar.
Saudade de você Lucas velho amigo,
Saudade de você Éthin parceiro antigo,
Saudade de você Nilton Vasconcelos Aragão,
Saudade de você Maria minha mãe, eterna paixão.
Saudade de você Saldanha velho irmão,
Saudade de todos que corta meu coração.
Lembranças vem e vão,
Machucam, perfuram o coração.
A vida é assim então vamos continuar,
Por mais triste que seja eu não vou chorar.
Alberto Ativista, escritor e poeta.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

LOIRINHA

Foi sem querer a primeira vez que a vi,
Foi sem querer, mesmo assim eu quis.
Eu quis repetição,
Quis sentir de novo aquela emoção.
Seus belos cabelos loiros,
Seu sorriso é mais que ouro.
Sua boca chama a minha,
Nem precisava chamar que eu já ia.
Ela tem mãos mágicas,
Cada toque é tipo fada.
Uma varinha de condão,
É o toque da suas mãos.
Me sinto um beija-flor sugando seu mel,
Ela é o meu chão e o meu céu.
Nunca encontrei mulher assim,
Tipo... Parece que ela foi feita pra mim.
Deus é mesmo sábio,
Fez aqueles lábios,
Fez aquele corpo,
Fez aquele rosto,
Fez aquela alma gêmea da minha,
Carinhosamente eu lhe chamo de loirinha.
Alberto Ativista, escritor e poeta.